Praticar a reverencia video

Praticar a reverencia video

Como praticar a reverencia taoísta

                            Monge/sacerdote Tian Xin Shan

No cultivo taoísta a reverencia é muito importante, pois ela proporciona serenidade ao eu inferior. É um cultivo para purificar a mente e o corpo.

Na tradição taoísta existem diferenças na execução conforme cada linhagem e escola, mas são muito semelhantes no geral, diferindo apenas em alguns detalhes.

Nosso cultivo pessoal da reverencia envolve mais conhecimentos de Tu Na Gong e determinadas coordenações do chi nos canais do corpo. Muitos executam a reverencia considerando alguns padrões culturais conforme o sentido e significado que foram a eles transmitidos.

Em nosso templo no Brasil a reflexão e o resgate da tradição de sabedoria taoísta proporcionaram uma visão mais ampla e maneiras potencializadoras de executar este nobre cultivo.

A reverencia não se trata de mera superstição cultural ou como alguns pensam prostar-se diante de outro e não reconhecer que você também é semelhando ou um ser de luz. Não tem haver com edificar separação e inferiorização de um ser em relação a outro. Nas prostrações feitas a reis e imperadores de fato esta atitude de inferiorização e submissa cegueira existia.

A reverencia espiritual tem outro significado e razão. Com ela se pode sentir o coração e a energia percorrendo o corpo quando a mente cala. É uma atitude de entrega do eu inferior ao Shen e ao Tao. Um ato de abertura do eu inferior aos seres iluminados e imortais para receber a sabedoria e o T’ai Chi. Uma atitude de silenciar o eu e viver o espírito puro como predominante.

Uma atitude de cultivar o esquecer o eu e esvaziar o coração das formas e personificações. Um ato de reconhecer a elevada estatura dos outros seres e dessa maneira também sentir em si mesmo essa realidade. É estar em comunhão com T’ai Yi.

Com a reverencia pratica-se sempre a atenção e cuidado de dispor o eu inferior como um ouvinte e não como regente. Conduz o eu inferior a cultivar a simplicidade e retornar a ela que é sua origem primeira e natureza sublime. Abre o coração e sua sensibilidade. Mas para isso é preciso receber os ensinamentos adequados sobre a reverencia.

Quando estamos diante do Tao Tan é preciso praticar a atitude da meditação Zuowang. Em seguida olhar para as divindades e senti-las no coração. Sentir o amor e a sabedoria delas. Estar em comunhão com Lao Jun e com o Tao.

Quando elevar as mãos até o olho celestial, sentir que se inunda de luz branca este ponto. Sentir essa luz branca descendo ao tantien no campo do elixir ao expirar. Abaixar se sentindo e percebendo cada movimento de inclinação do corpo e deslocamento dos pés.

Ao tocar o chão ou mesa de ajoelhar, sentir esse lugar. Sentir a energia chi branca descer do tantien pela coluna até a cabeça no palácio de cristal. Respirar três vezes e se levantar. Ao se levantar sentir o chi descer do palácio de cristal pela frente do corpo e retornar ao tantien. Esse é o percurso do chi no corpo.

Ao alongar as constas na postura abrem se os canais das costas. O coração e inundado pela energia e quietude do momento. Isso purifica psicologicamente. Ao cultivar três vezes, aumenta a energia interna aprimorando a percepção da Consciência Pura.

As prosternações são refinadas atitudes de harmonizar o eu inferior o tornado um caldeirão receptivo ao Xing Ming original. Ou seja, receptivo a Natureza Luminosa e Vida infinita.

O eu descansa de sua luta para ser algo, conquistar alguma forma e dissolve-se na entrega e humildade de seu coração e da sabedoria que se derrama como um caudal de luminosidade dos mestres celestiais.

Ao término olhar para o Tao Tan e sentir a graça e beatitude do Wuchi (vacuidade). Permanecer sentindo gratidão e paz. Sustentar a devoção sincera no Tao. Renovar suas motivações de seguir pelo Caminho Universal.