Divindade do mar taoísta

Divindade do mar taoísta

 

Matsu a Divindade do mar no Taoísmo

 

Mazu, também escrito Matsu, é a Deusa do mar que protege os pescadores e marinheiros, e é invocada como a Deusa que protege os leste-asiáticos que estão associados com o oceano. O nome dela é Lin Moniang. Ela é adorada amplamente em áreas costeiras do sudeste da China e regiões vizinhas, especialmente de Zhejiang, Fujian, Taiwan, Guangdong e Vietnã, que tem fortes tradições de bordo, bem como as comunidades de imigrantes em outros lugares com população considerável destas áreas.

Segundo a lenda, Lin Moniang nasceu em 960 como a sétima filha de Lin Yuan na Ilha Meizhou, Fujian. Ela não chorou quando nasceu, e por isso seu primeiro nome significa "Menina Silenciosa". Segundo a lenda, o pai de Lin Moniang e os irmãos eram pescadores. Usava roupas vermelhas enquanto estava na terra para guiar os barcos de pesca para casa, mesmo no tempo mais perigoso e cruel. Após sua morte, as famílias de muitos pescadores e marinheiros começaram a rezar em sua honra e seus atos de coragem para tentar salvar as pessoas no mar.

Mazu é geralmente representada vestindo uma túnica vermelha em pinturas e murais, mas na escultura está vestida com as vestes de uma imperatriz, segurando uma tabuleta cerimonial e vestindo o facilmente reconhecida tampa achatada imperial com esferas na frente e  para trás. Mazu é geralmente representada com dois generais da guarda.

 

 

General Guan Yu

Guan Yu é uma das mais conhecidas figuras históricas chinesas de toda a Ásia Oriental. Guan Yu foi um general durante o final da dinastia Han Oriental e era dos Três Reinos da China. Ele desempenhou um papel significativo na guerra civil que levou ao colapso da Dinastia Han e do estabelecimento do Reino de Shu, de que Liu Bei foi o primeiro imperador.

Guan Yu foi deificado logo na Dinastia Sui e ainda está sendo cultuado até hoje entre o povo chinês como uma divindade popular do povo chinês, um Bodhisattva no buddhismo, e uma deidade guardiã do taoísmo. Guan Yu é às vezes chamado de Deus da guerra taoísta devido ser um dos generais mais conhecido e militar da história chinesa. No culto geral, Guan Yu é amplamente conhecido como Imperador Guan. Ele é respeitado como o epítome da lealdade e da justiça.

Guan Yu é tradicionalmente retratado como um guerreiro com o rosto vermelho com uma longa barba exuberante, muitas vezes carregando sua arma chamada Espada Dragão Verde Crescente. A idéia de seu rosto vermelho poderia ter sido emprestada de representação da ópera, onde as faces vermelhas representam a fidelidade e a justiça.