Métodos e observações para a prática

Métodos e observações para a prática

Métodos e observações para prática

Por Monge Xin Shan

 

No ensinamento anterior falei sobre a proposta do taoísmo como sendo a realização da grande harmonia, felicidade e da paz. Estes estados de ser são os objetivos do cultivo e podem ser interpretados em termos taoistas como imortalidade, despertar da consciência iluminada, estado de Buddha, e, para os cristãos estado de cristo ou cristico. Pois, cristo é um estado de consciência lucida que todos os seres humanos podem alcançar e milhares já o alcançarão em tempos remotos mas não ficaram registrados na história. Entretanto no oriente há estas pessoas realizadas.

Quando o ser humano alcança a realização não significa que corre ao mundo para salva lo, salvar as pessoas, e sim aceita amorosamente o mundo como é.  A simplicidade também fora mencionada como prática principal e meta junto a continuidade da aplicação dos métodos.

Mencionei que o taoísmo não busca a verdade ou discursões intelectuais vaidosas sobre a verdade. Agora os métodos para alcançar a realização serão aqui apenas mencionados resumidamente.

O taoísmo é um caminho da vida humana diária para que ela possa realizar se como divina. Por esse termo se quer significar existindo em harmonia e equilíbrio. Não significa perfeição. Pois a perfeição é um mito do egoísmo, prepotência e arrogâncias inferiores. O que há é harmonia com as coisas como elas estão. E essa harmonia é a detentora do poder de transformação. O que estiver causando dor e limitações pode ser transformado em algo satisfatório.

 

O monge na casa que foi de Lao Tze na China

 

 

Mas nada se transforma com a desarmonia e sim com impulso natural interno de reconstrução a partir do ponto desarmônico. No núcleo do desarmônico como nós taoistas entendemos há o ponto de revelação da quididade impercebida. Esse núcleo é onde a natureza pura e em ordem perene se encontra e sustenta a existência. Neste local o estimulo da desconstrução pode ferver revoluções de mudanças e estas como um caos em verdade estão cumprindo com o equilíbrio da natureza. Este caos e falência é visto pelo eu inferior como tragédia e destruição negativa e inaceitável. Mas nada pode ser negado, e quando a destruição a partir do impulso da natureza e não provocada pela artificialidade da vaidade inferior, aciona o mecanismo da mudança o movimento de completude toma início. Toda desconstrução é boa.

Nós taoistas não procuramos atingir a perfeição, pois ela não existe. Mas almejamos realizar a maestria, a excelência dentro de uma moderação equilibrada e como um harmônico acorde complementar de outros acontecimentos da vida a nossa volta.

Assim menciono os métodos taoistas resumidamente para se alcança a realização. A meditação é essencial no cultivo do Tao. Sem ela não é possível transpor as nuvens densas do egoísmo e do orgulho das ilusões emocionais. Há vários métodos de meditação mas pode se mencionar alguns principais.

A meditação xin zhai fa ou também jingzhuo que utilizam a respiração dentre outras ferramentas para alcançar a unidade com a natureza a vida e o Tao. A meditação do sentar e esquecer que é a avançada e precisa de habilidade em outras anteriores para boa execução. A meditação de guardar o uno, meditação de dirigir o chi pelos canais. Meditações da orbita celestial menor e da maior.

Métodos da alquimia interior os quais chamamos de neidanshu, o xiulin para realização elevada. Chikung para refinar o corpo e manter a saúde e longevidade, Chikung para transformação sutil do corpo e dos canais, Chikung do espirito que nos coloca em união com o céu anterior. Métodos daoyin, práticas de recitações curtas de cantos zhou, cantos longos gongke, alimentação, tai chi chuan.

No campo do Chikung há diversos sistemas para serem cultivados e nos campos mencionados também há várias técnicas a serem aprendidas e executadas. Porém o que realmente pode levar um cultivador devoto do Tao a progredir não é a quantidade de métodos conhecido e sim a execução, a prática continuada dos que foram aprendidos.

 

 

 

Não é a quantidade de conhecimentos técnicos que proporciona resultados mas sim a continuidade do cultivo initerruptamente. Para isso as pessoas precisam construir tempo. O tempo não existe e por isso deve ser construído. Sem que haja ordem na vida da pessoa dificilmente ela poderá ter continuidade em suas práticas.

Outra observação válida é que as pessoas tendem a desanimar, desistir de um métodos com o tempo e na ilusão de que vai avançar, acelerar, se aprender outros métodos, deixando o anterior na gaveta do esquecimento e da inércia. Não adianta trocar de métodos, essa descontinuidade apenas embaraça a pessoa em energias emocionais de empolgação, paixão passageiras. De nada valem para fortalecer e harmonizar.

Por isso é preciso aprender determinadas quantidades de métodos e ordena- los para praticar. Muitos e muitos métodos podem se tornar difíceis de serem colocados em ordem e executados. Um taoista dedicado não possui muitos métodos, ele dedica se e fecunda os principais métodos que para ele funcionam bem.